Segunda-Feira, 20 de Novembro de 2017

JESUS, PÃO DA VIDA

Publicado em Padre Adilson Schio MS
Lido 173 vezes
Avalie este item
(0 votos)

 

LEITURA

Hoje celebramos o sacramento da Eucaristia que o Senhor nos deixou como um sinal de sua presença, do seu sacrifício na cruz e da vida plena prometida e alcançada por Ele a todos nós. Na verdade, o dom de Deus para toda a humanidade, em Cristo Jesus, sempre se expressa, do começo ao fim, na forma do corpo. Primeiramente “o verbo se fez carne”, isto é, se fez corpo, se fez vida no ceio de Maria. Este verbo feito corpo “crescia em idade, sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens” (Lc 2,52). Para que tudo se realizasse, foi o corpo de carne e sangue do Cristo que sofreu e morreu na cruz para a nossa salvação (Jo 3,16-17). É justamente este corpo, com as marcas do sacrifício da morte que Jesus mostra aos Apóstolos e os faz tocar, como sinal e certeza da sua vitória sobre a morte (Jo 20,20). É também este corpo que sobe ao céu e que está à direita do Pai, como dizemos na Profissão de Fé que rezamos na missa. Mas hoje celebramos de modo especial o Corpo do Senhor que é alimento para a Igreja, tal como diz São Paulo na Segunda Leitura de hoje: “Porque há um só pão, nós todos somos um só corpo, pois todos participamos desse único pão” (1Cor 10,17). Demos graças ao Deus por este corpo sacramental, alimento para aqueles que participam com a comunidade, da mesa da eucaristia: "Tomai, comei: isto é o meu corpo" (Mt 26,26).

 

MEDITAÇÃO

A Eucaristia é um grande dom e um grande presente. Não há muitas palavras senão aquelas da fé, para dizer do grande significado litúrgico e vivencial do Pão celebrado, do trigo transformado, que recordamos nessa solenidade de hoje. O Papa Francisco, na sua Homilia de Corpus Christi de 2013 disse: A Eucaristia é o Sacramento da Comunhão, que nos faz sair do individualismo para vivermos juntos o seguimento, a fé no Cristo. Deus não deixa de nos surpreender. Ele se dá na Eucaristia, o verdadeiro alimento que sustenta a nossa vida”. Para dizer o quanto nos ama, Deus nos deu o seu Filho Jesus. Verdadeiramente nos deu tudo de si e desejou com que o esse tudo chegasse a cada um de nós de forma concreta e visível. Ele faz Jesus – o Ressuscitado, o Vivente – ser a sua presença real ao lado de cada um de nós no caminho da vida, mesmo quando tudo nos parece perdido ou sem saída. Por isso O recebemos na participação do mistério da Comunhão podendo assim sentir a sua presença dentro de nós. Diante de tamanha graça nossa atitude só pode ser de contemplação e de adoração. Realmente este é um mistério da fé. Quem compreende e entra neste grande ato de amor de Deus entende como a Eucaristia é, ou se torna, a mais bela alegria da vida de fé. É por isso que não podemos ficar receber o Corpo de Cristo pois precisamos dessa alegria para alimentar nosso testemunho e nossa fé. Pessoas e comunidades que se unem em torno da Eucaristia sempre são pessoas e comunidades que revelam o rosto de Deus oferecido como alimento para o mundo. Diz o versículo 51 do Evangelho de hoje: “Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo”. São Justino, recolhendo a experiência realizada pelas primeiras comunidades cristãs, fala de uma maneira muito bela sobre a Eucaristia: “E, no chamado dia do Sol, reúnem-se num mesmo lugar todos os que moram nas cidades ou nos campos, e leem-se, na medida em que o tempo o permite, as memórias dos Apóstolos e os escritos dos Profetas. Quando o leitor termina, o presidente toma a palavra para fazer uma exortação, convidando os presentes a imitar tão belos ensinamentos. A seguir todos nos colocamos de pé e elevamos as nossas preces e, logo que as preces terminam, apresenta-se o pão, o vinho e a água. Então, aquele que preside eleva, com todo o fervor, preces e ações de graças, e o povo aclama dizendo: Amém. Depois, procede-se à distribuição dos dons sobre os quais foi pronunciada a ação de graças; cada um dos presentes participa deles, e os diáconos levam-nos também aos ausentes. [...] Reunimo-nos todos precisamente no dia do sol, não só porque foi o primeiro dia em que Deus, transformando as trevas e a matéria, criou o mundo, mas também porque Jesus Cristo, nosso Salvador, nesse dia ressuscitou dos mortos”. A missa, espaço do Corpo de Cristo, deve ser sempre uma festa de fé pois partilhamos do alimento que nos dá vida, o Cristo Senhor.

 

ORAÇÃO

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

 

AGIR

Faça da sua participação na Procissão do Corpus Christi um ato de louvor e de agradecimento a Deus.

 

Pe. Adilson Schio, MS.

Mais Lidas