Sábado, 24 de Junho de 2017

A palavra é... RECONCILIAÇÃO

Publicado em MARCELINO RAMOS
Lido 188 vezes
Avalie este item
(0 votos)

 

Nós, Missionários de Nossa Senhora da Salette, temos por missão, na Igreja, junto ao Povo de Deus o carisma da Reconciliação. Sempre invocamos a Nossa Senhora da Salette como “Reconciliadora dos pecadores”. Reconciliação é a palavra forte que emana do próprio Evangelho de Jesus Cristo que deixou bem evidente a sua missão ao entrar no mundo: “Eu vim para salvar e não para condenar”. Reconciliação não pode ser confundida com conciliação.

Conciliação é um ajuste de interesses, cada um cede um pouco e assim se faz a convivência humana tolerável. Conciliação, muitas vezes, se faz sobre muitas injustiças ou até entre vencidos e vencedores. Mas a Reconciliação se fundamenta na justiça e no amor. É por isso que dizemos que Cristo nos reconcilia com o Pai porque sua atitude se fundamenta no amor que Deus tem para conosco. Todo o amor verdadeiro supõe o perdão e a reconciliação passa pelo perdão. Sem perdão fundamentado no amor não é possível existir reconciliação. O perdão apaga a injustiça cometida e a culpa é redimida.

A reconciliação vem, primeiro, de Deus. É ele que toma a iniciativa de nos oferecer o perdão, no seu imenso e infinito amor pela humanidade. Foi assim que nos enviou Jesus, como prova concreta e histórica de seu amor para conosco. A reconciliação também não leva em conta a justiça humana, porque o amor é gratuito. Quem oferece o perdão não exige nada, nem pede retribuição, pois é como diz São Paulo: “O amor não se alegra com a injustiça, mas se gloria com a verdade, tudo desculpa, tudo crê, tudo suporta, tudo espera, não faz caso do mal”.

Deus nos ama não pelo que somos ou fazemos. Ele nos ama porque somos seus filhos, simplesmente! Nos oferece o perdão sem nenhuma exigência. Quer apenas que aceitemos ser amados por Ele. Por isto, nosso trabalho de missionários da reconciliação é de convencer as pessoas de que Deus nos ama e quer a nossa salvação e nos convida também a perdoar da mesma forma com que Ele nos perdoa: “Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”. Só com o perdão verdadeiro é possível a reconciliação. E este perdão deve estar fundamentado no amor que apaga toda culpa e esquece a ofensa e a injustiça.

 

Pe. Arlindo Fávero, MS.

Mais Lidas

O Tempo Comum

05 Jun 2017 Notícias Salette